Reserva de Emergência
Investimentos

Reserva de Emergência

A reserva de emergência se trata de um pedaço dos seus investimentos que ficará separado para os imprevistos. Este será o primeiro passo no mundo dos investimentos, guardar uma quantia, para caso ocorra uma necessidade que não estava prevista. Como por exemplo, despesas médicas e odontológicas, carro quebrou ou até mesmo perdeu o emprego, ou seja todos os gastos que chegaram sem avisar.

Para a reserva de emergência, alguns aspectos devem ser levados em conta, como, qual valor será guardado para esta finalidade e onde será guardado. Vamos pensar, uma vez que não sabemos quando teremos que usar o dinheiro desta reserva, é preciso guardá-lo em um investimento que possa ser fácil e rápido de resgatá-lo. Ou seja o investimento precisa ter liquidez, que significa a facilidade de tornar aquele investimento em dinheiro na sua conta bancária para ser usado.

Por exemplo, uma casa ou carro, não tem liquidez uma vez que você pode demorar dias ou meses para conseguir realizar a venda e receber o dinheiro. Mas sem levar em conta que, provavelmente você venderá estes bens abaixo do valor que valem. Pois devido o tempo curto para fazer dinheiro, o negócio pode se dar em momento desfavorável da economia, em que a casa esteja desvalorizada, poucas pessoas tenham dinheiro e os que tenham dinheiro, tentaram se aproveitar para comprar por um preço mais barato.

Sendo assim, este dinheiro da reserva de emergência, deve ficar guardado em investimentos com liquidez, como por exemplo Tesouro Selic, CDBs ou fundos de investimentos com liquidez diária, porque tendem a demorar no máximo um dia após a solicitação do resgate, para o valor ficar disponível em sua conta.

Quanto colocar na reserva de emergência?

Um aspecto muito importante é planejar qual valor vai ser destinado a reserva de emergência. Não existe um valor exato a ser guardado. Algo a se levar em conta, é o quanto sua profissão ou emprego tem previsibilidade. Ou seja, quem é empregado, mesmo que de carteira assinada não sabe quando pode ficar desempregado e por quanto tempo. Uma reserva, neste caso, pode ser de 12 vezes o valor necessário para pagar os custos de vida básicos de um mês. O mesmo pode se aplicar a um autônomo, que não sabe quando o seu negócio passara por dificuldades. Para quem é servidor público, e tem estabilidade no emprego, pode diminuir este valor para 6 vezes o custo de vida. Exemplo:

Custo de vida (gastos com aluguel, água, luz, alimento) = R$ 1000,00

Reserva de Emergência = 12 x R$1000,00 = R$12000,00

Lembrando que esta reserva de emergência, não serve apenas para caso de desemprego. Mas também para aqueles imprevistos que aparecem, que já foi mencionado no inicio deste artigo. Também pode ser utilizada como reserva de oportunidade.

E toda vez que for necessário retirar dinheiro desta reserva, se faz necessário repô-lo, antes de de fazer novos investimentos. Isto garante que a reserva de emergência sempre estará em um nível adequado.

Reserva de Oportunidade

A reserva de oportunidade, segue o mesmo princípio da reserva de emergência, ou seja, precisa ter liquidez. Mas o valor que será guardado para esta finalidade não tem um valor específico. Geralmente é mais comum para aqueles que já tem algum tempo que estão investindo e não estão achando um bom investimento para fazer naquele momento.

Este dinheiro será usado quando aparecer um investimento de renda fixa com uma taxa atraente. Também pode ser usado para esperar que apareça uma ação ou fundo imobiliário, em um bom preço. Ou seja, é para aqueles momentos que se está na dúvida de onde investir. E na dúvida é melhor não fazer nada e esperar até que se tenha certeza do que se está fazendo.

Deixe uma resposta

Fechar Menu